Total de visualizações de página

domingo, 12 de março de 2017

O TORNEIO CLASSIFICATÓRIO


Em virtude do elevado número de clubes inscritos (16), a Federação Desportiva de Brasília resolveu fazer um torneio para determinar as oito equipes que disputariam o campeonato da Primeira Divisão de 1960 e as oito que comporiam a Segunda.
Os 16 clubes foram divididos em 4 grupos. Os clubes com campos em condições de jogo foram “cabeças-de-chave”. Os grupos ficaram assim compostos:
A (com jogos no campo do Guará, Estádio “Israel Pinheiro”) - Edilson Mota, Guará, Industrial e Sobradinho;
B (no campo do Grêmio, Estádio “Vasco Viana de Andrade”) - Brasil Central, Consispa, Expansão e Grêmio;
C (no campo do Planalto, Estádio “Duílio Costa”) - Defelê, Guanabara, Pederneiras e Planalto;
D (no campo do Rabello, Estádio “Paulo Linhares”) - Alvorada, Nacional, Rabello e Real.
Além desses havia o campo do Acampamento da Construtora Nacional (Estádio "Aristóteles Góes") e o campo do Acampamento do Departamento de Força e Luz, Estádio "Ciro Machado do Espírito Santo", que seria inaugurado em dezembro de 1960.
O torneio foi realizado em turno único. Seriam consideradas automaticamente pertencentes à Primeira Divisão as equipes que se classificassem em 1º e 2º lugares das séries. Os que se classificassem em terceiros e quartos seriam considerados da Segunda Divisão.

0 x 0 NA ESTREIA

A estreia do Rabello aconteceu às 16 horas do dia 18 de setembro de 1960, na primeira rodada do torneio classificatório. Sob a arbitragem de Alex Alves Maia, ficou no empate de 0 x 0 com o Nacional. 
O Rabello formou com Gaguinho, Leocádio e Paulo; Délio, Capixaba e Alberto; Antônio, Matias, Baianinho, Nilo e Calado. Defenderam o Nacional Roberto, Valmir e Coelho; Senado, Lourinho e Chessman; Tarciso (Sete), Zezito, Dilvo, Belini e Joãozinho.
Na rodada inicial efetuada no campo do Rabello foi apurada a importância de Cr$ 14.500,00 (a melhor da rodada), pagando ingressos 290 pessoas. Deduzidas as despesas de arbitragem e taxa da Federação, coube a cada clube (quatro: jogaram ainda Real x Alvorada) a quantia de Cr$ 2.593,50.
A boa arrecadação conseguida foi devido às providências que a diretoria do Rabello tomou, fazendo cercar todo o campo e introduzindo alguns melhoramentos.

RABELLO 6 x 1 REAL

Às 14 horas do dia 25 de setembro de 1960, entraram no campo do Rabello o time da casa e o visitante Real. Caracterizou-se a partida pelo alto padrão disciplinar existente em campo. Embora perdedor, apresentou o Real séria resistência às pretensões do Rabello, tanto assim que o primeiro tempo terminou sem abertura do marcador.
No final, goleada do Rabello por 6 x 1, com gols de Baianinho (2), Nilo (2), Matias e Zequinha para o Rabello. João marcou o gol de honra do Real. Moacyr Siqueira foi o árbitro da partida, auxiliado por Vinícius Galba Siqueira e Nilzo de Sá. A renda foi de Cr$ 11.900,00.
Foi a seguinte a constituição da equipe do Rabello: Gaguinho, Penido e Leocádio; Alberto, Délio e Capixaba; Baianinho, Calado, Zequinha, Nilo e Matias. Técnico: Hélio Pimentel. Atuaram pelo Real José, Martiniano e José II; Hugo I, Wilson e Joaquim; Hildemar, Ezequiel, Araújo, João e Hugo II.
Comentário do DC-Brasília: “Aponta o Rabello como um dos mais sérios candidatos ao título máximo do futebol brasiliense, muito bem organizado em todos os setores”.

GARANTINDO PRESENÇA NA PRIMEIRA DIVISÃO

O Rabello encerrou sua participação no Torneio de Classificação no dia 9 de outubro de 1960, com outra goleada, desta vez sobre o Alvorada, por 5 x 2. Hiraclis Nicolaidis foi o árbitro da partida.
Eis como ficou o Grupo D do Torneio Classificatório:

CF
CLUBES
PG
J
V
E
D
GF
GC
SG
RABELLO
5
3
2
1
0
11
3
8
NACIONAL
3
3
1
1
1
2
2
0
REAL
3
3
1
1
1
4
8
-4
ALVORADA
1
3
0
1
2
3
7
-4


Assim, o Rabello garantiu sua presença na Primeira Divisão de 1960.


Nenhum comentário:

Postar um comentário