Total de visualizações de página

terça-feira, 21 de março de 2017

O CAMPEONATO BRASILIENSE DE 1960 - Continuação



PARALISAÇÃO DO CAMPEONATO E O WO

O campeonato brasiliense de 1960 sofreu uma paralisação (férias) e só retornou no dia 8 de janeiro de 1961, quando foi realizada a quinta rodada. O Rabello enfrentaria, no campo do Planalto, a equipe do Pederneiras. 
Para surpresa geral, a equipe do Pederneiras não compareceu e o árbitro Lourandyr de Castro Gomes aplicou o WO, dando a vitória ao Rabello.
Essa ausência favoreceu e muito o Rabello, que além de conquistar dois pontos preciosos, foi ainda beneficiado com o empate entre Guará e Grêmio e pela queda do Planalto, até então, o único líder do campeonato.
Deixando o campo sem jogar, mas com a vitória garantida, o Rabello passou a liderar o campeonato, ao lado do Defelê, que permaneceu com dois pontos perdidos.

RABELLO 2 x 2 GRÊMIO

Lance de Rabello x Grêmio
O Rabello folgou na rodada do campeonato brasiliense de 15 de janeiro de 1961 e, uma semana depois (22 de janeiro de 1961), em seu campo, deixou escapar a primeira chance de conquistar o título, ao empatar com o Grêmio, em 2 x 2.
Jogando em casa e com apoio de sua torcida, o Rabello iniciou a partida com maior volume de jogo. Logo aos três minutos desceu com perigo para o arco de Otaziano, dando a impressão que abriria a contagem. No entanto, dois minutos após, num contra-ataque, o Grêmio conseguiu marcar o único gol do primeiro tempo, numa jogada bem concatenada, que permitiu ao meia-direita Baiano, de fora da área, burlar a cidadela de Gaguinho.
Ainda no primeiro tempo, após uma pequena confusão na área do Grêmio, o árbitro Jorge Cardoso marcou uma penalidade máxima contra o Grêmio, numa legítima bola na mão e não mão na bola. Eram decorridos 24 minutos. Nilo foi chamado para cobrar, fazendo-o defeituosamente.
Aos 43 minutos, quando a pressão do Grêmio era mais acentuada, o árbitro não deu um pênalti claro a favor do Grêmio, após o médio Cazuza dominar a bola na pequena área com a mão direita.
Aos sete minutos do segundo tempo, Nilo conseguiu o empate, depois de uma confusão na grande área de Otaziano. Porém, oito minutos depois, numa bola bem trabalhada pelo setor esquerdo, Reinaldo desempatava outra vez para o Grêmio. Somente aos trinta minutos, depois de outro “bafafá” na defensiva gremista, o ponteiro-esquerdo Joãozinho apanhou o rebote de uma bola defendida pelo goleiro, decretando o empate e que seria mantido até o final.
A renda foi de CR$ 17.250,00 e o árbitro Jorge Cardoso.
Assim formaram as equipes:
RABELLO – Gaguinho, Paulo e Leocádio; Cazuza, Nozinho e Alberto; Sudaco, Calado, Baianinho, Nilo e Joãozinho.
GRÊMIO – Otaziano, Jubá, Pedersoli e Joãozinho; Édson e Alemão; Djalma, Baiano, Wellington, Itiberê e Reinaldo.
Na preliminar, entre os segundos quadros, o Rabello venceu por 3 x 2.

A ÚLTIMA RODADA

A última e decisiva rodada do campeonato brasiliense de 1960 foi disputada no dia 29 de janeiro de 1961. 
Mesmo tendo perdido um ponto na rodada anterior, uma combinação de resultados ainda poderia dar o título de campeão ao Rabello. Bastava que Guará e Defelê empatassem e o Rabello vencesse seu jogo contra o Planalto, no campo deste (Estádio Duílio Costa), para provocar um jogo-extra contra o Defelê.
Outra possibilidade era o Guará derrotar o Defelê e o Rabello perder para o Planalto. Neste caso, o título de campeão passaria para as mãos do Guará.
No campo do Guará, em jogo com dois pênaltis marcados (um para cada lado) no segundo tempo e três expulsões, Defelê e Guará não saíram do empate em 1 x 1.
Assim, o Rabello seria obrigado a vencer o Planalto para continuar sonhando com o título, mas isso não aconteceu. E, pior, ainda foi goleado por 4 x 1. Essa combinação de resultados, além de tirar as chances do Rabello de conquistar o título, ainda colocou o time alvinegro com apenas a quarta colocação no final.
O 1º tempo do jogo mostrou ao público presente ligeiro predomínio do Planalto sobre o Rabello. Aos 9 e 12 minutos, Gesil marcou para o Planalto. O Rabello diminuiu aos 14 minutos, com Joãozinho, cobrando pênalti. O placar de 2 x 1 permaneceu até o final dessa etapa.
No período complementar, quando se esperava uma reação do Rabello, o que se viu foi um Planalto ainda mais senhor da situação marcando outros dois tentos: Édson Galba, a um minuto, de pênalti, e Alemão, aos dez. Esses dois gols garantiram a vitória do Planalto pelo marcador de 4 x 1.
A equipe do Rabello esteve assim representada: Gaguinho (Veludo), Paulo, Leocádio e Alberto; Cazuza e Nozinho; Sudaco, Calado, Baianinho, Nilo e Joãozinho. 
O Planalto formou com o seguinte quadro: Raspinha, Hudson, Édson Galba e Nilo; Moreira (Ferrete) e Cardosinho; Cardoso, Leônidas, Gesil, Pedrinho e Alemão.
A renda foi de CR$ 20.750,00. Trabalhou como árbitro Jorge Cardoso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário